Postagens

dizem que o verdadeiro amor é como descobrir o suicídio
você atravessa a rua despretensiosamente sem olhar pros dois lados flertando suavemente com a morte
você atravessa os dedos despretensiosamente pela minha pele flertando suavemente com a minha alma
você não é tão incerto quanto a vinda de um carro diretamente contra o lado direito do meu corpo
você atravessa por mim desligando-se do impacto mas os teus toques atingem minhas estruturas selvagementemas se eu tivesse implorado ou chorado ou ralado meus joelhos no chão do nosso quarto
isso mudaria algo? isso nos traria alguma luz?
o quão pouco estávamos dispostos a partilhar nossos pequenos segredos
nós fomos uma fraude doce amor uma bonita tentativa falha
eu tentei te alcançar quase te sinto você está tão perto
e então
você desaparecenós ignoramos todos os sinais nós fechamos nossos olhos pra todos os avisos
chegamos depois da hora e não estávamos ao menos prontos
não é de admirar termos perdido o controle
quando sempre somos uma ex…
1 2 3
foram as vezes que eu segurei tua mão não tão despropositalmente quanto fiz parecer entre as garrafas de cerveja e os risos de quintas-feiras gastas
6 9 12 ou mais talvez
as vezes em que você escolheu um cacho solitário meu pra enrolar nos dedos distraidamente às dez horas de segundas-feiras soltas
aposto que 20 ou 22 ou 27
que a pronúncia do meu nome na tua boca pareceu singela especial meio cantada algo fora do normal amigos-e-nada-mais-que-isso
50 70 100 cento e tantos
os olhares furtivos trocados entre piadas sem graça sobre o meu gosto musical e o seu gosto pra camisetas e o meu muito-visível-gosto pelos teus cabelos roçando nos ombros
122 177 188 200 eu diria
dos momentos em que tua voz penetrou pelos meus poros e o teu hálito acariciou o pé da minha orelha e você me disse que eu era confusa e eu te disse que você não é nada do que eu creio que posso entender
nesse ponto eu perdi as contas porque eu sou tão ruim de matemática e eu sou tão ruim em cair de amores e eu fui tã…
você bebe teu café doce de mais pro meu gosto e eu te sinto engolindo em algum lugar entre meu umbigo e o quadril os nós dos teus dedos parecem com os de laooconte mas michelangelo nunca tinha posto seus olhos em algo tão bruto e vital assim o teu canto de uirapuru se enreda pelos cabelos da minha nuca e você diz que eu poderia ser tua meu pulso se move tão rápido e não posso desacelerá-lo quando teus olhos distintos pousam nos ossos da minha clavícula e queimam quero colocar meus braços em volta dos teus ombros acariciar suavemente teu maxilar porque você é raro como as linhas de ouro das mãos do sagrado feminino você é como a arte renascentista com cores suaves tatuadas pela minha pele
você observa o céu durante o entardecer e ele se torna roxo e laranja e rosado pelo embaraço da tua atenção o mundo escurece em azul e as estrelas pontilham e refletem nas tuas sardas eu enxergo os teus lados mais obscuros e eles sussurram meu nome
eu desejo que eu pudesse ouvir teu silêncio e os pen…
você não sabe que eu gostaria de estar mais perto?
eu tenho te assistido observado teus estranhos hábitos teus vícios linguísticos o jeito como você ajeita teu cabelo atrás da orelha
não precisa me dizer que se eu for pequena demais para enxergar você vai me erguer nos teus ombros eu não tenho medo
e quando o vento entrar pelas tuas roupas e assustar teus poros eu posso pacificá-los com toda a paz do meu hálitonão se preocupe com essa escuridão quando a noite vem porque você é repleto de luz você tremula em azul claro e leves tons de laranja
você cheira como madeira envelhecida banhada em vinho branco como um desejo cru brotando do centro da terra
e essas sombras caem se dissolvem no teu jeito refrescante como orvalho ao amanhecer tua voz rouca como as ondas quebrando
você me colore em nuances de dourado quando as pétalas dos teus lábios beijam meu pescoçovocê não sabe que eu gostaria de estar mais perto?
quando tua influência rodeia meus sentidos meus pés flutuam longe do chão eu sin…
tem sido muito para explicar
além da minha capacidade de falar racionalmente
você pode me mostrar? eu vejo que há muito para aprender
mas eu sou tão simples quanto uma pequena flor de quaresmeira ao sol
e eu estou penca mas presa em minhas raízes neste asfalto quente
você não vai me ajudar? eu estou esperando pacientementeeu abriria meus olhos se você me pedisse para enxergar através da neblina
eu abriria meus olhos se eu pudesse acreditar que isso faria algum bemeu posso contar nos meus dedos os erros cometidos
mas eu pensei que não era sobre isso o amor que não seria sobre isso"a cidade está deserta,
e alguém escreveu o teu nome em toda a parte:
nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas"eu ainda me lembro de quando as coisas eram mais fáceis mas
certo quanto as ondas que quebram em meu quadril tenho deixado o passado para trás
eu sou uma estrada mas não cobro pedágios eu sou uma consequência sem causa eu sei
mas eu ainda estou lutando aqui deste lado do elo fraco da corr…
a maciez vai murchar da terra das tuas mãos vão nascer ervas daninhas de cortes e roxos por tua mania de torcer os dedos tão constantemente que acaba ferindo-os apertar tudo tão forte e isso corta as flores das tuas palmas
o toque cuidadoso quente agora é incerto tuas juntas estão sempre frias como a neve de dezembro e você não é capaz de segurar nada com a delicadeza necessária porque as tuas mãos são feito Judas traindo teu amor puro pelos teus tremores por trinta moedas de prataa tua voz antes suave ritmada muito pacientemente falha ela entala ao redor do nó na tua garganta ela estica os braços pra fora da confusão no final da tua língua mas não há nenhum resgate ela permanece a deriva no mar das tuas sílabas
os teus dentes partilham batalhas diárias entre os teus lábios e ambos os lados terminam exaustos quando o sol se põe manchados de sangue mutilados e a guerra continua amanhãvocê vai se deitar a noite numa cama repleta de pequenos pregos com a própria personificação do mal ali…
você tem sido tocada por mãos cruéis por tanto tempo tantas vezes
tua pele cor de oliva tem sido manchada de tons desgostosos de roxo e verde
e nenhuma dessas marcas foi feita pra arrancar suspiros e isso é uma lástima
eles não arrepiaram teus poros com ânsia dos teus detalhes como eueu não quero que você se esconda que não me mostre esse teu lado
porque eu quero esses teus olhos cor de terra molhada tão lascivos percorrendo toda a extenção das minhas curvas
a forma como eles te tomaram foi tão fria e sem amor
mas no meu abraço não existe nada além de calor e doçura e sede de vocêcalmamente vagarosamente dolorosamente de modo diabólico
você vai sussurrar em meus ouvidos como quer sentir-se pura por toda tua luxúria?
eu quero abraçar teus demônios como se eles fossem lindas donzelas gregas cobertas de tecidos finos
eu quero reconciliar a violência da tua mente machucada com as minhas mãos quentesvocê grita comigo e me diz com tanta raiva e desolação
quão errada você é e que todas as ci…