você bebe teu café doce de mais pro meu gosto e eu te sinto engolindo em algum lugar entre meu umbigo e o quadril
os nós dos teus dedos parecem com os de laooconte mas michelangelo nunca tinha posto seus olhos em algo tão bruto e vital assim
o teu canto de uirapuru se enreda pelos cabelos da minha nuca e você diz que eu poderia ser tua
meu pulso se move tão rápido e não posso desacelerá-lo quando teus olhos distintos pousam nos ossos da minha clavícula e queimam
quero colocar meus braços em volta dos teus ombros acariciar suavemente teu maxilar
porque você é raro como as linhas de ouro das mãos do sagrado feminino
você é como a arte renascentista com cores suaves tatuadas pela minha pele

você observa o céu durante o entardecer e ele se torna roxo e laranja e rosado pelo embaraço da tua atenção
o mundo escurece em azul e as estrelas pontilham e refletem nas tuas sardas eu enxergo os teus lados mais obscuros e eles sussurram meu nome

eu desejo que eu pudesse ouvir teu silêncio e os pensamentos soltos da tua mente fascinante
eu desejo que eu pudesse passar as unhas pelos teus poros enquanto al green canta unicamente para nós

você bebe teu café doce de mais pro meu gosto e eu te sinto nascendo em algum lugar entre minhas costelas e a cintura
posso te dar todo o tempo do mundo e manhãs preguiçosas segredos ditos baixinho embaixo das cobertas se você só escolher ficar
eu me sento silenciosamente observando amorosamente teu peito subindo e descendo com o milagre da tua respiração
porque você brilha como o sol se pondo lá no fim do horizonte encontrando-se com o oceano
você é como as raízes das árvores infiltrando-se com força pela minha pele

quando as tuas pálpebras estão cansadas de mais para durar mais algumas horas
e o sono vem engatinhar pela tua cama
eu estou dançando na chuva com as tuas memórias?
você sente meu calor mesmo quando eu não estou lá?
se houvesse uma maneira você tornaria o tempo sólido e nossas mãos unidas um mapa?
você nos eternizaria dentro da tua alma?

depois que todas as velas tiverem se apagado e que os poetas tiverem se esquecido que os sonetos de shakespeare são compostos por três quartetos e um dístico
mesmo após o peso da vida fustigar os esperançosos e todos os passos impossíveis de contar separarem todos que se amam
você permanecerá intacto dentro dos labirintos dos meus dias lilázes
você sempre será o lírio mais lindo dos jardins do meu espírito

"If this be error and upon me proved,
I never writ, nor no man ever loved."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog