acordei essa manhã
com gosto de saudade mal dormida na boca
e o cabelo emaranhado de erros
me perguntando
questionando
como começamos isso
raio de sol?
como perdemos o rumo e
como desistimos assim e
como tornamos nosso belo
essas reticências?

eu perdi uma batalha contra mim
você perdeu uma batalha contra si
mas isso não é uma guerra
não vamos tornar isso uma guerra
raio de sol

e eu sei que
haverá vezes em que nós brigaremos
haverá lágrimas que choraremos
haverá muros que ergueremos
mas somos só eu e você e nossos corações
você não vê?

me mostre tuas cicatrizes
e eu beijarei todas
me conte dos teus pesadelos
e eu consolarei tua mente
eu mostrarei as minhas
eu contarei dos meus
mesmo que sejam coisas cruéis demais
para algo assim tão gentil

me diz
você vai saber quando me abraçar
sem que eu peça?
e não me deixar sozinha quando eu
não deixá-lo entrar?
e todas as vezes que eu sentir raiva e medo
você vai saber como me enfrentar
e me juntar novamente?

e mesmo quando eu preciso de espaço
mesmo quando eu sufoco e
não posso lidar com as dores do meu passado
não ouça as palavras que eu digo
não sou eu
isso não sou eu

por favor

não
       vá
            tão
                  longe

e eu sei que
há uma parte de mim escura
há pedaços de mim contorcidos
há falta de fé tatuada por mim inteira
mas eu sei que
há amor pela tua voz calma
há cuidado pelo toque suave dos teus dedos
há paixão pelo teu jeito lindo de ver as coisas

me diz
quando parecer que estamos quebrando
e que nada pode nos consertar
você vai me dizer que vamos lutar
não me deixar?
você vai me enxergar
através da névoa das minhas inseguranças?
você vai saber como me odiar
e me amar de novo?

quando os meus olhos chorarem mágoas
você vai plantar em mim
com as tuas digitais tão doces
esperança?

você vai segurar minha mão
quando o resto do mundo me derrubar
raio de sol?...

Comentários

  1. Tenho medo de comentários reformados e refeitos. Nunca transmitem o sentimento da primeira leitura, ainda assim: as vezes me pego pensando em quantas dores há nos contratempos de teus risos. Parece tudo tão pesado e não irreal, todavia. Por vezes sinto como se fossem palavras direcionadas a mim, nós irresolúveis de ações e atos que não mais são. Coisas que me pareceram impalpáveis alvejando o peito.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog